Os sites de compras online sempre serão alvos para ataques cibernéticos. 

Visto que para os ladrões, eles são um tesouro de dados pessoais e financeiros.

E para empresas, o custo da violação e perda de dados gera enorme desconfiança do cliente e isso é extremamente prejudicial.

Por esse motivo os proprietários de empresas de comércio eletrônico estão muito cientes dessas questões e estão aumentando suas medidas de segurança. 

Neste jogo constante de gato e rato, os varejistas online adicionam tecnologias cada vez mais inovadoras aos seus sites para se manterem competitivos, em contrapartida os ciberataques estão igualmente aprimorando suas habilidades e encontrando novas vulnerabilidades para explorar. 

Neste artigo iremos boas práticas para se manter à frente e garantir a segurança de dados no e-commerce.

O que é a segurança de dados no e-commerce?

A segurança da loja virtual é a diretriz que garante transações seguras pela internet. 

Ou seja, consiste em protocolos que protegem as pessoas que vendem e compram online. 

Privacidade

A privacidade inclui a prevenção de qualquer atividade que leve ao compartilhamento de dados de clientes com terceiros não autorizados. 

Além do vendedor online que o cliente escolheu, ninguém mais deve acessar suas informações pessoais e detalhes da conta.

Uma quebra de confidencialidade ocorre quando os vendedores permitem que terceiros tenham acesso a tais informações. 

Uma empresa online deve implementar pelo menos o mínimo necessário de antivírus, firewall, criptografia e outras proteções de dados. 

Ele irá percorrer um longo caminho na proteção dos dados bancários e do cartão de crédito dos clientes.

Integridade

Integridade é outro conceito crucial de segurança de e-commerce. 

No qual significa garantir que todas as informações que os clientes compartilharam online permaneçam inalteradas.

O princípio afirma que o negócio online está utilizando as informações dos clientes conforme fornecidas, sem alterar nada.

A alteração de qualquer parte dos dados faz com que o comprador perca a confiança na segurança e integridade da empresa online.

Autenticação

A autenticação na segurança, exige que tanto o vendedor quanto o comprador sejam reais. 

Eles devem ser quem dizem que são. 

A empresa deve provar que é real e que lida com itens ou serviços genuínos, além de cumprir com o que promete. 

Os clientes também devem apresentar o comprovante de identidade para que o vendedor se sinta seguro nas transações online. 

É possível garantir autenticação e identificação. 

Entre as soluções padrão, estão as informações de login do cliente e PINs de cartão de crédito.

Como realizar a segurança no e-commerce? 6 dicas!

Os cibercriminosos usam muitos métodos diferentes para extrair informações confidenciais, mas você tem um arsenal de ferramentas de defesa à sua disposição para proteger os dados dos clientes.

Instalar um certificado SSL

Esta medida criptografa os dados em trânsito do navegador do usuário para o servidor do site de processamento de pagamento.

Por exemplo, se você estiver aceitando pagamentos online por meio de um gateway ou processador de terceiros, um certificado SSL impedirá que hackers roubem informações de pagamento em trânsito.

Usar um firewall de aplicativos web

O firewall monitora o tráfego e interrompe tentativas mal-intencionadas que podem exaurir os recursos do servidor. 

Por esse motivo procure um firewall de aplicativos web que atenda aos padrões de segurança de dados da indústria de cartões de pagamento e tenha proteção DDoS integrada.

Além disso, certifique-se de que seu firewall permite personalização das configurações para bloquear qualquer tráfego de entrada de países para os quais não há envio.

Por exemplo, se você não envia produtos para fora do Brasil, personalize seu firewall para bloquear o tráfego de qualquer lugar fora. 

Isso ajudará a manter os dados do cliente mais seguros.

Mantenha os plugins atualizados. 

Plug-ins desatualizados são o melhor amigo do cibercriminoso. 

Os hackers estão constantemente vasculhando plugins populares de e-commerce em busca de novas vulnerabilidades. 

Se você regularmente permite que seu site seja executado em plugins desatualizados, é apenas uma questão de tempo até que os hackers encontrem seu caminho.

Confie em um software antimalware automatizado.

Automatizar a detecção e remoção de malware pode fornecer segurança aprimorada ao seu site e economizar muito tempo. 

Procure uma solução abrangente que analise os arquivos do seu site e aplique automaticamente os patches de segurança. 

Isso detecta e remove malwares do seu site, dando a você uma coisa a menos com que se preocupar no dia a dia.

Implementar treinamento de conscientização de segurança

Você pode ficar surpreso ao saber que seus funcionários costumam ser o elo mais fraco na cadeia de segurança cibernética.

No entanto, apenas um pouco de treinamento de segurança pode ajudar muito a diminuir esse risco.

Ensine os funcionários a identificar atividades suspeitas - seja em seu site ou em e-mails de phishing em suas caixas de entrada - e mostre a eles o que constitui uma senha forte.

Desenvolva um plano de segurança para o e-commerce

Crie um plano de resposta a incidentes de segurança cibernética com antecedência para ajudá-lo a responder com eficiência quando um hacker romper suas defesas.

Ao definir claramente quem deve fazer o quê após um ataque, evitará a confusão e o caos que podem afundar os negócios.

Certifique-se de testar seu plano regularmente com exercícios de segurança cibernética e resolver quaisquer deficiências que encontrar em seu plano de resposta.

Conclusão

O desenvolvimento de uma boa segurança de dados para o e-commerce é de vital importância para o sucesso do negócio. 

Pois, não pode perder a confiança dos clientes expondo seus dados pessoais. 

Seguindo as dicas desta postagem e ficando atento ao que está acontecendo no cenário da cibersegurança, você pode fornecer a seus clientes uma experiência de compra em que eles podem confiar.



Emoji de 2 dedos fazendo o V da vitória