Saiba como utilizar big data para pequenas empresas

Tenha um objetivo, conheça os hábitos do seu cliente, fique de olho nas métricas e outras dicas de como usar big data para pequenas empresas

Que o big data é uma das grandes tendências para os mais diversos setores do mercado nos próximos anos, já não há dúvida. Uma pesquisa feita pela consultoria Gartner mostra que, até 2020, três em cada quatro empresas pretendem investir em Big Data em seus negócios. Mas será possível elaborar soluções de big data também para pequenas empresas? É o que veremos neste artigo. Confira!

Big data para pequenas empresas: 5 dicas de como fazer 

Ao longo do tempo, desde que o conceito de big data começou a se tornar mais conhecido, a partir de 2008, criou-se uma ideia de que essa ferramenta só seria possível de ser aplicada em grandes empresas. Afinal, elas têm condições de bancar custos, criar departamentos focados no tema e estruturar formas de monitorar grandes volumes de dados.

Mas isso não é verdade. Cada vez mais as pequenas empresas têm usado o big data para ajudar a solucionar questões que são importantes no seu dia a dia. Todo os dias são gerados 2,5000000000000000000 (2,5 quintilhões) de bytes de informações na internet. E nesse número cabe tudo — o post na rede social, o relatório de uma transação bancária, um GIF enviado por um aplicativo de trocas de mensagens, um emoji de coração. 

São milhões de possibilidades e isso não significa que você deve olhar para todas elas — seria impossível e uma grande perda de tempo.

No entanto, diversas ferramentas podem ser úteis para analisar um grande volume de informações que realmente tenha utilidade para o seu negócio. Para isso, o primeiro passo é saber exatamente o que você quer com o big data. Veja essa e outras dicas abaixo.

1. Tenha um objetivo com o big data

Em primeiro lugar, usar big data para pequenas empresas deve partir de um objetivo concreto. Onde você quer chegar com a análise de um determinado volume de dados? Responder a essa pergunta é crucial para o desenvolvimento do seu negócio a partir do big data. 

Se seu objetivo é investir em experiência do usuário, por exemplo, é importante filtrar os dados que são gerados em redes sociais, como comentários, fotos, stories, avaliações em sites de venda, recomendações, dentre outras. A partir de uma análise das informações brutas colhidas nos mais diversos canais, você consegue determinar algumas ações que podem ser implementadas visando aumentar o engajamento com essas pessoas. 

Se seu foco, neste momento, é fidelizar os clientes e garantir vendas futuras de quem já te conhece, filtre as informações obtidas por formulários, dados de vendas, comentários em redes sociais para elaborar estratégias para o futuro. 

2. Conheça os hábitos do seu cliente

Grandes empresas de supermercado ou farmácia sabem muito bem quem são seus clientes e tentam, de toda forma, padronizar comportamentos com a única finalidade de aumentar as vendas. Não estranhe se um dia você entrar em um estabelecimento e se deparar com a gôndola de fraldas próxima a de cervejas em uma sexta-feira a noite. 

É muito difícil que isso seja somente uma coincidência. Na verdade, trata-se da análise de milhares de compras ao longo do tempo por meio de ferramentas de big data e cruzamento de diversos tipos de dados diferentes. É como colocar no papel um perfil de compra do seu cliente médio. 

No caso de uma pequena empresa, a lógica também pode ser adotada. O big data para pequenas empresas pode ajudar a encontrar padrões de consumo que podem se converter em aumento nas vendas. Fique atento. 

3. Fique de olho nas métricas

Outra forma de usar o big data para pequenas empresas é focar nas métricas no ambiente online. 

O cruzamento de dados de vendas da plataformas e-commerce com as campanhas patrocinadas no Facebook, por exemplo, pode ajudar a definir o melhor horário para a programação dos anúncios ou o tipo de público que tem que receber esses posts. A dica está em analisar os dados e testar. 

4. Não despreze informações

Apesar de não ser recomendável que uma pequena empresa queira “abraçar o mundo” a partir do big data, também é recomendável não desprezar informações que são geradas em vendas e podem ser facilmente coletadas

Pode ser que, à primeira vista, você não veja nada de mais em saber o bairro onde vive o seu cliente. No entanto, é justamente essa informação que pode fazer a diferença na hora de elaborar uma campanha. 

Tente verificar as tendências escondidas dentro dos volumes de dados. Decifrar essas “histórias” por trás dos relatórios brutos pode significar o salto que falta para você amplificar sua atuação em um determinado local ou segmento. 

5. Informe-se sempre

O mercado do big data está em constante transformação. Todos os dias nos deparamos com a descoberta de novas ferramentas e formas de enxergar e analisar os dados gerados por diversas fontes. É importante se manter atualizado sobre as novidades do setor e manter a cabeça aberta para inovar sempre que preciso. 

Diversos especialistas têm tratado a informação como o principal ativo estratégico das empresas no século XXI. E eles não estão errados. O importante é saber quais as informações são necessárias e desejáveis, como chegar até elas e como analisá-las. É um bom desafio. 

3 ferramentas de Big Data para pequenas empresas

1. Google Analytics

A ferramenta gratuita do Google tem soluções interessantes com ferramentas que podem ser utilizadas por pequenos negócios. O Google Analytics permite que você colete dados ao longo do tempo e, de posse dessas informações, consiga visualizar tendências e outros insights para que você pode tomar decisões seguras.

2. ClearStory Data

Essa ferramenta oferece possibilidade de mineração de dados e análise de informações por meio de um sistema que combina as informações internas da empresa com dados públicos que estão disponíveis. A principal vantagem é que essas informações são apresentadas de uma forma fácil. 

3. IBM Watson Analytics

Esse produto da IBM pode ser facilmente utilizado mesmo em uma pequena empresa. Com ele, o gestor tem acesso a uma análise avançada de negócios sem que tenha conhecimento sobre aspectos técnicos como mineração de dados, por exemplo. 

Agora que você já saber que o big data para pequenas empresas não é nenhum bicho de sete cabeças, que tal entrar em contato com a nossa equipe para conhecer as melhores soluções tecnológicas para o seu negócio funcionar?


42% das empresas no Brasil tem custos mais altos por ineficiência em tecnologia e informática. Fale com um consultor:

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Você também pode gostar de...

Veja Mais

Não deixe sua empresa parar por problemas simples de suporte. Estamos aqui para te ajudar

Confira alguns dos serviços: